Abril 13, 2024
Ouça a Rádio Arca aqui!

A reeleição de Xi Jinping para um inédito terceiro mandato na China acendeu o alerta para o estrangulamento da liberdade religiosa no país. Órgãos de monitoramento da perseguição a cristãos veem risco de “consequências catastróficas”.

Depois que o Partido Comunista da China (PCCh) reelegeu Xi Jinping como líder da República Popular da China, o cenário formalizado é de apoio irrestrito às políticas do presidente, que tem estilo agressivo no combate aos opositores.

Xi Jinping garantiu seu terceiro mandato como presidente da China e secretário-geral do PCCh na semana passada, menos de cinco anos depois que o Congresso Nacional do partido aboliu o limite de dois mandatos consecutivos para presidentes. Ele ficará no poder, pelo menos, até outubro de 2027.

Sam Brownback afirma que governo Chinês busca exterminar a fé no país.

De acordo com a CBN News, fotos retiradas dos arquivos da polícia chinesa mostram alguns dos milhões de uigures que foram mantidos em pelo menos 1200 campos de concentração chineses.

A polícia nicaraguense sob ordem do regime de Daniel Ortega, impediu pastores de celebrar ato comemorativo do “Dia da Bíblia”

A polícia nicaraguense sob ordem do regime de Daniel Ortega, impediu nessa pastores de celebrar ato comemorativo do “Dia da Bíblia”, realizado sempre no último domingo do mês de setembro, por alegarem “razões de segurança”.

Terroristas mataram três cristãos no estado de Benue, Nigéria, no último domingo, 18 de setembro, depois de matar pelo menos 22 outros na mesma área nas últimas três semanas.

Os agressores seriam muçulmanos da etnia fulani, um grupo étnico de característica nômade que vem intensificando sua radicalização nos últimos anos. No último domingo, atacaram a aldeia de Tse Ngban – formada em sua maioria por moradores por cristãos – no condado de Guma, por volta das 16h.

O relato de um morador da aldeia, chamado Paul Adagu, foi feito ao portal Morning S

 Radicais Fulanis perseguem e matam cristãos na Nigéria.

Recentemente, no dia 1º de setembro, suspeitos Fulani mataram seis cristãos no centro da Nigéria. O ataque ocorreu na vila predominantemente cristã de Umella, no sudeste do estado de Benue.

Nesse sentido, Mike Ubah, o presidente do conselho do governo local, confirmou que seis cristãos foram mortos no ataque, revelando que algumas das vítimas foram baleadas, enquanto outras foram atacadas com facões.

Página 3 de 4