Abril 12, 2024
Ouça a Rádio Arca aqui!

A história cita o julgamento, a morte e a ressurreição de Jesus.

A Páscoa, na Palestina do século I, mudou a história da humanidade. A história cita o julgamento, a morte e a ressurreição de Jesus.

Descrevendo o cenário antes do julgamento e da crucificação do Messias, observa-se que Jesus predisse a Sua morte em profecia (Mc 8:31). Na última semana de vida, Jesus entrou triunfalmente em Jerusalém, aclamado pelo povo como rei (Mc 11:1), em cima de um jumentinho, sendo muito bem recebido pelas pessoas que estenderam vestes pelas ruas e ramos pelo chão. O ato da população de estender ramos verdes pelas ruas era uma ação popular comum e também pode ser vista nos textos no Antigo Testamento como quando Jeú foi aclamado rei (2 Rs 9:13).

O diabo foi vencido através da Palavra de Deus.

“E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.” (Mateus 4:3)

Ao ser tentado pelo diabo, Jesus Cristo lembrou uma poderosa lição.

Jesus Cristo desejava que a Igreja fosse unida nEle.

“Não há judeu nem grego, não há escravo nem livre, não há homem e mulher, pois todos vocês são um em Cristo Jesus.” (Gálatas 3:28)

Existem diferenças gritantes entre os cristãos.

Seja culturalmente ou teológicamente, os cristãos têm muitas diferenças.

No entanto, em Cristo nós somos um. Ou seja, através da nossa fé em Jesus Cristo é possível alcançar unidade.

Cristãos que cometem suicídio vão para o céu? Esse tema delicado foi debatido por dois apologistas cristãos em meio ao luto enfrentado por muitas famílias, incluindo viúvas de pastores, que perderam entes queridos para esse ato de desespero.

O ex-ateu Jonathan Noyes, agora um escritor apologista cristão, juntou-se ao professor e apologista Sean McDowell para um debate online ao vivo na última semana para abordar a questão “O suicídio é visto como imperdoável aos olhos de Deus?”.

 

Evangelista não se intimidou com tentativa de calar a mensagem.

 

Membros encontram conforto nas Escrituras após incêndio de igreja histórica.

 

Um incêndio em uma igreja do Mississipi destruiu completamente o santuário histórico, deixando membros de luto. Mas uma Bíblia de 180 anos que resistiu ao incêndio está trazendo de volta a esperança para a comunidade.

 

Segundo a CBN News, o edifício histórico da Igreja Presbiteriana College Hill em Oxford, Mississippi, construído em 1844, foi deixado completamente devastado após o incêndio de 13 de agosto. Bancos originais, púlpitos e vitrais foram completamente destruídos.

 

No entanto, a Bíblia histórica, que remonta à fundação da igreja, sendo transmitida e pregada de toda a história da igreja, com inscrições datadas nas margens do livro contando parte de sua história,  sobreviveu ao incêndio.

 

Apesar de o livro sagrado estar geralmente aberto no púlpito, alguém o fechou poucas horas antes do incêndio, protegendo-o da destruição. O ancião da igreja, Doug Paul disse que o acontecimento enviou uma mensagem profunda para a congregação.

 

“Somos uma igreja crente na Bíblia, e acreditamos que essa é a palavra de Deus, e que é sustentável. E assim a ideia de que essencialmente nada nesta igreja sobreviveu a não ser a palavra de Deus – que não está perdida em nós”, disse ele.

 

Semelhantemente, a Igreja Presbiteriana College Hill, publicou uma mensagem com líderes lamentando a perda, mas mantendo seu foco na bondade de Deus. Eles afirmam que enquanto sua perda é significativa por ser uma igreja histórica, ela também é um corpo de crentes, não apenas um edifício.

 

“Enquanto estamos devastados pela perda, continuaremos a nos reunir e nos unir com grande esperança e alegria como uma congregação para adorar o Senhor que tem fielmente pastoreado e amado esta igreja por tanto tempo”, afirmou.

 

Recentemente a igreja utilizou seu prédio de educação que não foi prejudicado pelo fogo, para cultuar. Enquanto isso, a causa do incidente está sendo investigada.

 

 

 

Creditos: Gospel Prime

Página 2 de 3